Papo com Santiago Nazarian, autor de Mastigando Humanos



“Se a fome é o impulso básico para a existência, o freio da existência seria o medo? Ou seria a saciedade? Afinal, quem tem fome demais se arrisca. E quem já não tem não precisa. Morrer de medo.... Não adianta observar os hábitos alimentares da minha espécie pela televisão, vocês nunca entenderiam o que me motiva sem ler o que tenho a contar. ”

Essa é apenas uma das incríveis divagações de Jacaré (eu não sei o nome do jacaré. Se você sabe, por favor, comente!), personagem principal de Mastigando humanos, novo livro de Santiago Nazarian, publicado pelo Grupo Editorial Record.


Mastigando humanos foi lançado originalmente em 2007, e de lá pra cá, só rendeu coisas boas ao jovem autor, no mesmo ano, em Bogotá, capital do livro, foi eleito um dos maiores autores da América Latina pelo júri do Hay Festival. Tem seus romances (6 ao todo) espalhados pela Europa e América Latina e, recentemente, vendeu os direitos da história para editoras da Itália e da Espanha. Não é à toa o sucesso de suas obras. O cara é bom mesmo.

Tivemos a oportunidade de participar de um evento, onde o autor anunciou o relançamento de seu livro. Rolou um papo bem legal com os presentes! Fizemos um resumão recontando o que ele falou para os blogueiros que estavam no evento.

 Quero lançar um livro POP no Brasil

 Este ano, Mastigando humanos, foi publicado na Itália, Espanha e, lá na Paraíba, virou leitura obrigatória para o vestibular.... Achei estranho. Esse livro vai contra isso, eu acho. Tem uma carga sexual muito forte. Caiu umas perguntas sobre o livro que eu mesmo não entendi nada (se eu fosse elaborar uma prova, não adotaria meu livro, mas foi legal).

Aliás descobri recentemente o Skoob. Vi que tenho boas recomendações por lá (e nunca precisei criar perfis falsos para isso.... HAHAH).

Minha casa sempre teve livros

 Venho de uma família de leitores (minha mãe começou a publicar depois de mim). Minha casa sempre teve livros (meu pai é artista plástico, então as brigas se concentravam entre colocar estantes de livros ou quadros de pinturas). Ao mesmo tempo, na adolescência, não gostava de Machado de Assis.

Uma amiga me apresentou algumas coisas que me influenciam muito até hoje, livros que tinha em casa, mas nunca li, como as obras de Franz Kafka, Fernando Abreu, Thomas Mann, e George Orwell (meu autor favorito é o James Cooper. Literatura hardcore pesada).

 Tenho outras influências, como música e cinema (sou muito fã de filmes de terror) mas acredito que isso não basta para um escritor. Se o cara não faz a lição de casa (ler bons livros e de bons autores); ele nunca vai ser um bom escritor.

Existencialismo bizarro 

Não sei exatamente para quem escrevo, só sei que carrego o rótulo de existencialismo bizarro, e exatamente por isso, ainda não tenho a intenção de escrever uma história de amor. A galera que comprou meu livro em 2007 está evoluindo, crescendo e estou indo junto, com eles.... Mastigando humanos é para jovens adultos, de 20 e poucos anos.

Atrito entre homem e a natureza

 Meu próximo livro é um thriller sobre um rockeiro, que vira alcoólatra, a mãe morre e ele herda uma casa de campo. O romance se passa em um fim de semana, onde ele está arrumando a casa, tirando as coisas de sua mãe. De repente surta.... É um atrito entre o homem e a natureza.

Me considero um autor alternativo

“De forma curiosa, você não precisa ter livros lançados lá fora para divulgar seu livro lá. Já fui para Frankfurt diversas vezes... Acabei de voltar de Guadalajara (quando viajo, eu sempre entro nas comitivas de brasileiros como “autor bizarro da família”). No exterior os livros “indie” vão bem (estou em editoras pequenas por lá). Aqui é bom estar em editoras grandes, por questão de sobrevivência. Lá temos muitos prêmios, muitos mercados. Aqui não: poucos prêmios, poucos mercados, poucas opções.... Se não estivesse numa editoria grande, com certeza estaria publicando em outra, mas trabalhando de outra coisa. Me considero um autor alternativo, mas é nesta terra que tenho que agir. Santiago Nazarian deixou um recado para quem ainda não leu o livro:

 Não termine 2013 sem ler Mastigando humanos. Nós recomendamos muito (devoramos em 1 dia!).

Texto publicado originalmente por mim no blog do iba, no dia 12 de dezembro de 2013.

Compartilhe no Google Plus

About Ceroula Blog

Empreendedor na Hardskull Clothing; marketeiro por formação; metido a designer, videomaker e fotógrafo; louco por café e apaixonado por gatos. Conheça meu trabalho em www.mullernascimento.com