Resenha: Minha Breve História, de Stephen Hawking



“Quando eu tinha doze anos, um de meus amigos apostou um saco de doces com outro que eu nunca seria ninguém. Não sei se tal aposta foi paga algum dia, e se foi, quem a ganhou. ” – Stephen Hawking.

Minha breve história, de Stephen Hawking, é uma das autobiografias sincera e sucinta de uma das figuras mais importantes da atualidade. O cientista experimental fez questão de escrever cada palavra de seu livro, o mesmo preso a uma cadeira de rodas. O livro, publicado pela editoria Intrínseca aqui no Brasil, é o primeiro que ele escreve sem ajuda, desde Uma breve história do tempo, publicado em 1988 e relançado inúmeras vezes (a Intrínseca vai reeditar ano que vem \o).

Quando a editoria anunciou que iria lançar está biografia, confesso que fiquei muito ansioso para ler, porque 1) a única coisa que sei sabia sobre o cientista aprendi com Big Bang Theory e Os Simpsons e 2) Stephen Hawking, né galera?

    //

    Em meu último ano em Oxford, notei que estava ficando cada vez mais desajeitado. Fui a um médico depois de cair de uma escada, mas tudo que ele disse foi: “Pare de beber cerveja”.

     //

O livro é bem curtinho, mas não com pouco conteúdo. Desde as primeiras linhas até o final, você descobre coisas que ninguém – eu disse NINGUÉM – nunca imaginou.

     //

    Sempre fui um aluno mediano. (Era uma turma muito brilhante). Meus trabalhos escolares não tinham capricho e minha caligrafia era o desespero dos professores. 

    //

 O ponto alto da leitura, pelo menos para mim é o momento que ele faz algumas revelações sobre a relação com Jane Wilde, sua 1ª esposa. Ela o ajudou muito e o amava muito, mas como era o de se esperar, a esclerose lateral amiotrófica, doença que começou a se manifestar logo no início de seu casamento, afetou Jane emocionalmente.

 #HORADOSPOILER: Tanto Stephen Hawking quanto suas esposas acreditavam que ele morreria muito em breve, e sua família não teria um homem presente. O cientista pensando no bem-estar de sua querida esposa e mãe de seus três filhos, chamou um cara para morar com eles, e caso morresse amanhã, ele estaria lá para suprir TODAS as necessidades de sua família. Stephen não morreu no outro dia e o cara se aproximava cada vez mais de sua mulher. De baixo de seus olhos. Dentro da sua casa.

    //

     Quando você se depara com a possibilidade de uma morte precoce, percebe que a vida vale a pena e que há muitas coisas que você deseja fazer.

     //

Além de seu relato biográfico, Minha Breve história é uma verdadeira aula de ciências para leigos, com um relato motivacional e inspirador. Eu recomendo muitíssimo, independentemente de suas crenças.

     //

    Se você entende como o universo funciona, de certa forma pode controla-lo.

    //


Obs.: para você que está se perguntando como o cientista escreveu o livro, ele usou um software que reconhece os movimentos do rosto. Escolhendo as letras em uma tela, ele escreveu uma palavra por minuto.

Texto publicado originalmente por mim no blog do iba, no dia 12 de novembro de 2013.


Compartilhe no Google Plus

About Ceroula Blog

Empreendedor na Hardskull Clothing; marketeiro por formação; metido a designer, videomaker e fotógrafo; louco por café e apaixonado por gatos. Conheça meu trabalho em www.mullernascimento.com